Harpoon Project: Preconceito disfarçado de movimento

Como se não bastasse a luta que é fazer com que as pessoas nos aceitem como somos, ainda existem pessoas que se dão o trabalho de criar “movimentos” para justamente fazer o contrário, tentar impor um padrão de beleza.
Como assim Mary? Pois é! Essa semana o Catraca Livre publicou a seguinte matéria: Página “emagrece” mulheres plus size digitalmente e afirma :  “apenas magras são bonitas”.  A matéria se refere ao Harpoon Projetc (já esta fora do ar) uma página colaborativa criada no Facebook expondo de um lado mulheres gordas e do outro sua versão magra photoshopada.

harpoon-projetc-plus-size

Bom, quando li isso, primeiro fiquei muito triste em presenciar a comprovação do preconceito. Sim, preconceito! Porque afirmar que “apenas magras são bonitas” gente, é muito preconceito. Logo depois fiquei revoltada, pois todo o trabalho que temos em defender a beleza sem padrões, a aceitação do corpo como ele é, a autoestima e tudo mais que já sabemos, pessoas se levantam para destruir isso.

Segundo a criadora da página, o objetivo era mostrar os dois lados da beleza moderna e ir contra o atual momento “pró-obesidade” e “aceitação da gordura”.
Agora PARA TUDO! Quem aqui esta defendendo a obesidade?
Por favor, me mostre um único post de qualquer blogueira Plus Size defendendo a gordura, porque até hoje nunca vi. Muito pelo contrário, vejo a luta de mulheres que estão correndo atrás da saúde mesmo sendo gordinhas. Mulheres lidando com a autoestima e se cuidando mesmo sendo gordas, mulheres se amando do jeito que são, defendendo suas curvas, suas dobrinhas e mais do que isso defendendo sua forma de viver e sua beleza.

Usaram como exemplo ícones da beleza Plus Size como a modelo internacional Tess Holliday , que defende o movimento body positive e não a pró obesidade. Quem a acompanha nas redes sociais já deve ter visto suas idas à academia.  Mas o que estou querendo dizer é, que NINGUÉM esta vestindo a camisa com a seguinte frase: Viva a obesidade! Seja gordo você também.
A única coisa que queremos é que aceitem a beleza das gordinhas! Simples! Que não haja padrões de beleza. Não apenas das magras, das gordas, das japonesas... entende? Que as pessoas enxerguem a beleza sem precisar se basear em um estereótipo.
Veja, se Tess Holliday emagrecer ficará feia? NUNCA! Ela vai continuar linda como sempre foi, porém cabe a ela escolher o tipo de vida que quer levar, o peso que quer ter, quanto quer comer e etc. E se ela optar em continuar como está? Gente... ela vai continuar sendo gata demais.

tess-holliday-magra-plus-size

Agora, na minha humilde opinião, de todas as fotos que vi, achei a versão gordinha mais bonita. Ahhhh Mariana, mas é porque você é gorda, porque tem um blog que fala de moda plus size e blá blá... Não! Não é isso.  As fotos da versão gordinha é a versão real de como elas são e a versão magra é uma alteração que fizeram na beleza que já estava perfeita. E pra mim a versão real é sempre a mais bonita. Se fossem magras e tivessem as engordado no photoshop, ainda continuaria preferindo a versão original =)

A Ju Romano , Marixx do Tamanho P  e Paulinha Bastos do Grandes Mulheres, falaram também sobre o assunto, e é impressionante como somos diferentes e únicas, porque apesar do mesmo assunto cada uma tem um ponto de vista e seu jeitinho especial de escrever. Então vale a pena dar uma passadinha pelo blog delas 😉

Até a próxima.

Beijos, Mary!

2 Responses

  1. “Apenas magras são bonitas”. Isso é um fato, e biológico de seleção natural por sinal.
    É preconceito sim, porque é um julgamento imposto pela mãe natureza sem que possamos fazer uma análise prévia. Pior, é impossível reescrever o código genético da líbido humana para transformar exceções em regras.
    A natureza é assim, uma filha da p#%$!
    Mas o pior não é isso. É que a natureza deu aos gordos uma vida mais curta e de má qualidade, com mais chances de doenças como diabetes, pressão alta, câncer, e todas as demais doenças crônicas recorrentes desses primeiros como: Aneurismas, problemas cardíacos, circulatórios, etc, etc, etc…
    A natureza é preconceituosa e nada igualitária. Mas como ela não pode ser mudada, certos grupos específicos projetam a culpa de tudo que lhes desagrada na sociedade humana. Criam-se então “movimentos” inúteis que não levam a absolutamente nada.
    Que tal focar em ter uma vida mais saudável?
    A mãe natureza tinha isso em mente quando criou nos nossos genes esse “preconceito” de não achar pessoas gordas atraentes.

    • Meu amigo, você tá querendo falar pela mãe natureza?! Tá com essa moral toda? rsrs Na próxima deixa o nome e e-mails verdadeiros pelo menos, pra eu saber quem é tal gênio (a). Rindo do seu comentário. Tá claro que você é um ignorante! Então, não sei lidar rs. Beijos e seja muito feliz com sua opinião!

Leave a Reply